12.7 C
São Marcos
InícioGeralAgosto terá a última Superlua do ano e duas chuvas de estrelas...

Agosto terá a última Superlua do ano e duas chuvas de estrelas cadentes

No dia 13 agosto, sábado, teremos a terceira e última Superlua do ano

Agosto mal começou e promete vários fenômenos astronômicos ao logo do mês. Um dos mais aguardados é terceira e última Superlua do ano, que parecerá maior e mais brilhante no céu.

Antes, nesta segunda, 1º de agosto tivemos a conjunção entre Marte e Saturno às 6h22 da manhã, quando os dois planetas apareceram mais próximos, vistos da Terra. O mês também reserva duas chuvas de estrelas cadentes.

A última Superlua do ano

No dia 13 agosto, sábado, teremos a terceira e última Superlua do ano. O satélite natural, que estará em sua fase cheia, estará mais perto de sua aproximação máxima com a Terra (363 mil quilômetros), chamada de perigeu.

O fenômeno também é conhecido como Superlua de morango, nome criado pelos povos nativos da América do Norte que usavam os corpos celestes como indicadores para saber o melhor momento para caçar, plantar e colher, como faziam com os morangos, que amadurecem nesta época no hemisfério norte.

A primeira Superlua do ano ocorreu em 14 de junho. A segunda foi registrada em 13 de julho, bem maior e mais brilhante se comparada a anterior.

Chuva de estrelas cadentes

Teremos o pico máximo da chuva de meteoros Perseidas entre a noite de 12 de agosto e as primeiras horas da madrugada de 13 de agosto. O fenômeno é resultado do cometa Swift-Tutle, descoberto em 1862 por astrônomos dos Estados Unidos.

Especialistas estimam que durante o pico máximo possam ser observados 60 meteoros por hora. A chuva de estrelas cadentes será mais visível do hemisfério norte do planeta. Mas aqui no Brasil vai dar para ver nas regiões norte e nordeste do país.

Astrônomos indicam que como a Lua estará quase cheia no céu, a visibilidade da chuva poderá ser prejudicada. Além disso, eles recomendam que as pessoas estejam em um local escuro após a meia-noite para uma melhor visualização do fenômeno.

Chuva de meteoros Kappa-Cignídeos

Já o pico máximo da chuva de meteoros Kappa-Cignídeos será no dia 18 de agosto. Os corpos celestes poderão ser facilmente observados, principalmente no hemisfério norte.

Os meteoros kappas são de coloração branco-azulados e são conhecidos por terem a cauda curta. Em comparação com os perseidas, eles são mais lentos e menos brilhantes.

Conjunções de planetas com a Lua

Também estão previstas para agosto quatro conjunções de planetas do Sistema Solar com a Lua. O primeiro desses fenômenos ocorrerá em 15 de agosto e será entre Júpiter e o satélite natural.

Quatro dias depois da primeira conjunção desse tipo no mês, o fenômeno ocorrerá entre Marte e o satélite natural.

Em 25 de agosto será a vez de Vênus entrar em conjunção com a Lua. Por fim, em 29 de agosto, haverá a última conjunção prevista no mês, e será entre Mercúrio e a Lua.

Veja o calendário de fenômenos astronômicos

1 de agosto: Conjunção entre Marte e Saturno

11 de agosto: Terceira e última Superlua do ano

12 e 13 de agosto: Pico máximo da chuva de meteoros Perseidas

14 de agosto: Saturno em oposição

15 de agosto: Conjunção entre Júpiter e Lua

18 de agosto: Pico máximo da chuva de meteoros Kappa-Cignídeos

19 de agosto: Conjunção entre Marte e Lua

25 de agosto: Conjunção entre Vênus e Lua

29 de agosto: Conjunção entre Mercúrio e Lua

Destaques

Últimas

Conteúdo relacionado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui